Experiência ou Resultados?

Aquele poderia ser mais um entre os muitos posts que circulam pelo LinkedIn.

Se costuma consultar o LinkedIn com regularidade percebe que aí todas as pessoas são concordantes e motivadoras. É distribuir palminhas. São palavras de encorajamento. São votos de muito sucesso. São garantias de que «vais conseguir»! É muita simpatia, elogios e parabéns. Enfim, se noutras redes sociais um simples «Bom dia» pode gerar um sem números de comentários a desliarem ódio, no LinkedIn é o contrário, são só palavras de incentivo e simpatia.

Mas como dizia, naquele dia banal vi partilhado a seguinte frase:

UAU! Que frase inspiradora!

Até parece que é fácil concordar com o que está escrito, certo? Afinal, quanto maior a minha experiência, mais rapidamente eu executo uma tarefa, logo, devo ser mais bem pago por isso. Se dúvidas houvesse, consultando a caixa de comentários, ficariam logo desfeitas, pois todos concordavam com esta ideia.

Excepto eu.

DE FREELANCER A EMPRESÁRIO

Este programa de treino intensivo vai transformar a sua mentalidade de freelancer tecnicamente competente, a gestor do seu negócio que é tecnicamente competente para solucionar os problemas dos seus clientes. Porque trabalhar como freelancer não é só fazer o trabalho: é, também, saber gerir o seu negócio.

SABER MAIS

Quer dizer, não estou em total desacordo com a mensagem nem com a ideia. Mas não me parece que seja deste modo que se convence alguém sobre o valor do seu trabalho.

A primeira pergunta que fiz a mim mesmo foi que «se eu fizesse precisamente o mesmo trabalho, no mesmo tempo, mas tendo apenas 5 anos de experiência, então deveria ganhar metade da pessoa com 10?» É por isso que os recrutadores querem sempre saber o tempo de experiência? O meu valor é atribuído segundo o número de anos de fazer alguma coisa? Então, o «gajo de Alfama» (sem ofensa para os moradores de Alfama) deve sair-se lindamente nas entrevistas de emprego, pois ele sempre começa as frases a dizer «ouça, qu’eu já cá ando nisto há muito tempo»!

Na minha opinião o que importa são os resultados e não os anos de experiência.

Resultados! Esse deveria ser o motivo para a contratação de alguém, pois anos de experiência não significa melhor trabalho ou desempenho. Com facilidade nos lembramos de pessoas com muito anos de profissão, mas que ficaram estagnadas no passado.

Costumo dizer muitas vezes que o tempo é um problema meu. Isto é, se demoro muito ou pouco tempo, se faço algo com facilidade ou dificuldade, isso é um problema que terei de resolver por mim. Não escondo que esse problema pode afectar outros, mas não deixa de ser algo que só eu próprio posso resolver.

Assim, não importa qual seja a sua situação profissional: se deseja que os outros o valorizem correctamente mostre-lhes o resultado do seu trabalho. Se esse resultado for excelente, então ninguém quererá saber quanto tempo demorou ou o esforço que empregou a fazê-lo (desde que cumpra o prazo combinado, como é óbvio).

Por exemplo, eu nunca digo a um cliente o tempo que dediquei a realizar um trabalho para que ele entenda o valor do mesmo. Mas falo-lhe convictamente sobre o potencial daquela ideia e de como ela o vai beneficiar. Às vezes até partilho um pouco sobre o processo de trabalho, ou como cheguei àquela ideia, mas isso serve mais para que ele se sinta envolvido e tome aquela solução como sendo também sua. É por isso que se o trabalho realizado não trouxer o resultado expectável ou necessário, então pouco serve dizer ao cliente que já se «gastou» muito tempo e energia nela e por isso ele terá de a aceitar.

Entenda-me bem: é óbvio que reconheço que quanto maior a experiência, maior probabilidade de alcançar um melhor resultado. Isso é visível em muitos ofícios ou no desporto. No entanto, tal só acontece quando estamos em modo de aprendizagem e aperfeiçoamento permanente. E não em modo de relógio a ver o tempo passar…

Pedro Miguel Martins

Ainda na Faculdade, há mais de 15 anos, já trabalhava como freelancer. Pelas minhas mãos já passaram projectos de marcas tão conhecidas como a RFM, Rádio Renascença, Águas da Figueira, Nova School of Business & Economics ou Cepsa, mas também de outros clientes mais pequenos. Vejo a criatividade, o compromisso e a confiança como os pilares de qualquer projecto de qualidade: foi com base nestes princípios que vinguei como freelancer.

Aceite o convite e subscreva a minha newsletter de conteúdos exclusivos.

SEM SPAM OU QUALQUER TIPO DE PUBLICIDADE

Continue a ler

Vamos entrar num novo confinamento…

Trabalhar em casa, sozinho, não faz de mim um eremita ou um monge enclausurado. Gostar de trabalhar em silencio não significa não me sentir inspirado pelo murmurinho das pessoas que me rodeiam.

Um texto com algum azedume

De facto, não é fácil ganhar dinheiro como trabalhador independente, tendo em conta todas as obrigações fiscais.

Estados d’alma de um freelancer.

A Alanis Morissette conhece-os como ninguém!

Experiência ou Resultados?

Resultados! Esse deveria ser o motivo para a contratação de alguém, pois anos de experiência não significa melhor trabalho ou desempenho. Com facilidade nos lembramos de pessoas com muito anos de…

Eu não posso agradar a todos os clientes!

Um freelancer não pode agradar a todos os clientes. Tem de ter uma visão clara do tipo de projectos que deseja realizar e o género de clientes com quem deseja trabalhar.

Educação. Um investimento contínuo.

A nossa educação requer um investimento contínuo, inclusive e especialmente na idade adulta. Não deixe de investir na sua educação e formação, seja ela pessoal ou profissional.