Esqueça a paixão e concentre-se nas dores

Mike Rowe ficou conhecido por ser o destemido apresentador do programa de televisão chamado Dirty Jobs. A premissa do programa é bastante simples: em cada episódio, Mike trabalha com homens e mulheres que realizam trabalhos perigosos e repugnantes que ninguém gosta de fazer.

Mike Rowe explica porque nunca devemos seguir a nossa paixão, mas sim, aplicar paixão nas tarefas que nos dedicamos, em todo o momento, mesmo quando não temos vontade disso. Assim, esteja a braços com um trabalho sujo como limpar um esgoto ou com um trabalho glamoroso sentado numa luxuosa e confortável cadeira, será capaz de desafiar-se a fazer um excelente trabalho, com compromisso, com dedicação e assim, alcançar o sucesso no seu negócio.

«Muitas das pessoas que vemos no programa acabaram por trabalhar em algo que não era de modo algum o cumprimento de um desejo de vida ou de carreira», afirma o apresentador, acrescentando que «eles identificaram a oportunidade, especializaram-se, tornaram-se os melhores e indispensáveis, e depois aprenderam a gostar da sua profissão.»

Então, se o caminho não passa por encontrarmos a nossa paixão, qual devemos seguir? A dor! Sim, o caminho da dor. Os empreendedores de sucesso não estabeleceram os seus negócios com base na sua paixão, mas antes, criaram os fundamentos dos seus negócios em cima das suas dores e frustrações.

Um exemplo fácil é o da Uber. A Uber faz precisamente aquilo que um serviço de transporte é suposto fazer: levar-nos do ponto A ao B. Mas, de onde vem o sucesso deste serviço? É que ele permite chamar um veículo sem saber a rua onde estou. Permite que eu saiba quanto tempo demorará a viagem. Permite-me pagar sem ter dinheiro. Mas especialmente, permite-me avaliar a qualidade do serviço.

Mas, vou dar outro exemplo: a Handy.

Handy, anteriormente conhecida como Handybook, foi fundada em 2012 como uma solução prática para um problema antigo: encontrar profissionais confiáveis e eficazes para serviços domésticos de limpeza e trabalhos manuais de canalização, electricidade e outros. Foi fundada por Oisin Hanrahan, que fez carreira como promotor imobiliário. Para ele era frustrante e penoso encontrar profissionais qualificados para executar trabalhos de renovação e manutenção das casas que adquiria. Não havia uma maneira fácil. Porém, anos mais tarde, enquanto frequentava a Harvard Business School, Oisin Hanrahan conheceu Umang Dua, e juntos fundaram a Handy, com o objectivo de proporcionar de modo fácil, conveniente e confiável, todo o tipo de serviços domésticos.

«Empresas de sucesso são cultivadas por empresários que reconheceram uma necessidade e fornecem uma solução que resolve a dor de outros. Ao reconhecer uma dor, tem a oportunidade de ser a primeira pessoa a fornecer uma solução ao mercado», afirmou James F. Grebey, no seu livro «The Determined Entrepreneur».

Dores! Dores são nada mais nada menos que os desafios que empresas e prestadores de serviços devem estar atentos para resolverem e garantirem a satisfação dos consumidores e clientes.

Melhor do que procurar seguir as suas paixões e o que gosta de fazer, é mais proveitoso encontrar o que frustra e causa dor nos seus clientes. Mas como fazê-lo?

1. Esteja ao serviço dos outros

Empreendedores bem-sucedidos desenvolvem produtos e serviços indispensáveis, que resolvem problemas e fazem a vida melhor para os consumidores. Note, que esses empreendedores não fazem o que querem ou que os apaixona, mas, em vez disso, trabalham para resolver um problema concreto, dando aos consumidores o que eles há muito desejavam. E, além disso, fazem-no melhor do que a concorrência.

2. Encontre novas dores

É engraçado, mas sempre que a Apple lança um novo produto – que afirma que é o último grito da tecnologia e inovação – abre a porta a que outras empresas venham criar acessórios para esse mesmo produto. Exemplo disso foi a opção de não incluir a tradicional entrada de Jack para auscultadores no iPhone 7. Graças a esta opção, só a Amazon lista mais de 5000 adaptadores de auscultadores.

3. Ofereça uma solução inovadora

Empreendedores que desejam lançar um novo produto ou serviço no mercado, devem garantir que a solução que propõem para resolver um problema particular é inovadora e original. Mudar velhos hábitos dos consumidores é uma luta severa e de vitória difícil. Se deseja mudar paradigmas então os consumidores devem ser atraídos por algo que eles consideram que irá melhorar o seu status quo.

4. Determine a intensidade da dor

Antes de começar a construir o seu produto ou serviço, pergunte-se: quão intensa é a dor que procuro tratar? A resposta a esta pergunta irá determinar o quanto os seus clientes estarão dispostos a pagar pela solução que propõe.
Por isso, é necessário auscultar em permanência os seus clientes e público-alvo, tal qual o farmacêutico ausculta o paciente determinando se o medicamento está a produzir o efeito desejado.

Freelancers que se concentram em resolver os problemas de outros poderão aplicar paixão nessa tarefa e serem bem sucedidos.